Resenha: Shin Shunkaden – A nova lenda de Chun Hyang

artigoblogfinal

Há muito tempo…havia uma garota muito bonita chamada Chun Hyang. Ela se apaixonou pela primeira vez por um yangban (nobre) chamado Mong Ryong, superando a diferença social e tendo seu amor correspondido. Mesmo ficando separados, mesmo que outros se declarassem a ela e ela fosse presa por rejeitá-los, Chun Hyang continuava a amar somente Mong Ryong… Essa é uma antiga história de amor contada na Coréia. Chun Hyang é considerada uma mulher fiel e ainda hoje, é admirada pelas pessoas. Porém…esta Chun Hyang é “um pouco” diferente.

Sim, hoje iremos falar de Sunkaden, uma obra da CLAMP em one-shot sobre um antigo conto Coreano de romance, e quando digo romance, também digo batalhas e não só o amor. O grupo CLAMP é um dos meus favoritos e sempre gostei de acompanhar as obras delas e as mensagens que passam, além daquele traço bélissimo, apesar de também achar que os personagens são super compridos 😛 Como vocês já devem imaginar caso acompanhem meu blog, li essa história de romance justamente porque tem muita coisa a mais que apenas a fidelidade de Chun Hyang para com Mong Ryong. Então, vamos lá?

Título: 新・春香伝
Gêneros: Ação, fantasia, histórico, romance, sobrenatural
Roteiro: CLAMP; Ohkawa Ageha
Ilustrador(a): Apapa Mokona; CLAMP
Ano: 1996
Editora: Hakusensha
Serializado em: Não consta
Licenciado no Brasil? Sim
Editora Brasileira: NEWPOP
Volumes: 1
Preço: R$ 14,90

Quando é dito que essa Chun Hyang é um pouco diferente, é bem por aí mesmo.

No país chamado Koryo (foi estabelecido como estado soberano da Coreia em 918 por Taejo Wang Kon), existem cerca de 300 vilarejos e cidades e todas elas são supervisionadas pelo governo central chamado Chun-an. Esse governo envia a cada cidade e vilarejo um nobre, chamado Yangban, para administrar o local. No total são 321 Yangbans. Eles administram a terra por dez anos e seu objetivo é trazer progresso a esses locais, representando o Chun-an, mas como é de se esperar quando se tratam de seres humanos, muitos Yangbans se aproveitam de sua posição para cobrar taxas absurdas e fazer pedidos impossíveis as pessoas, que por sua vez não podem ir contra um Yangban, pois, a punição não é só o infrator perder a vida, mas a cidade toda pagar por isso.

16-202x300Nossa história começa na pequena cidade de Ryonfi, onde o Yangban abusa de seu poder e posição social para fazer a vida dos cidadãos um inferno, mas nesta cidade vive a jovem Chun Hyang, filha de uma das mais famosas Shimbangs de Koryo, Myeong Hwa. Um shimbang é um tipo de shamã coreano, mas que não possui um santuário e nem tem seu corpo possuído por espíritos ou deuses. O problema atualmente não é só o Yangban desta cidade e sim o seu filho que tal como pai, é um bostinha (não tem como dizer isso de um jeito educado, não tem graça! Ele é sim um bostinha u_u) e não pode ver uma mulher bonita que quer logo abusar de sua autoridade sobre elas, e claro que nessa época, além de ser proibido contrariar um Yangban, as mulhers não tinham voz a menos que tivessem muito poder (e olhe lá, porque ainda era uma mulher né rs), então as moças todas tinham que aceitar as mãozinhas desse rapaz nelas e fim da história. Só que não pra Chun Hyang, que chega dando porrada em todo mundo com artes marciais! Alias, ela luta muito bem e adora isso, apesar de ser uma garota e não ter que ficar se metendo em brigas, ela não está nem aí desde que possa defender o povo das garras dos nobres podres. Obviamente ela não ataca o Yangban diretamente, mas ensina a ele uma lição. O problema é que ele quer ela justamente porque ela não quer saber dele e fica por aí peitando as autoridades, mas…isso é um caso bem sem importância, já que ele é um bostinha né?

4af8d48207997a7f96dd0433727788bd5db22520f87d7fb80ebfb16a-196x300Chun Hyang e sua mãe vivem uma vida muito pacífica, apesar da falta do pai, que é um segredo que sua mãe acaba nunca lhe contando. Pacífica até o super suspeito e vida boa de um viajante chamado Mong Ryong aparecer na sua árvore, digo, porta…mas é árvore mesmo! Ele diz ser um viajante bonzinho que adora comida e mulheres lindas, como a mãe e a filha e que ouviu sobre a poderosa Shimbang desta cidade e tinha que conhecê-la. De uma forma ou de outra ele acaba passando bastante com Chun Hyang apesar dela detestar isso e o chamar de pervertido a torto e a direito pelo modo que ele fala com qualquer mulher, mas mal sabe Chun Hyang que o Yangban foi convencido por seu filho a sequestrar sua mãe para fazê-la sua finalmente, e por consequência a filha teria que se render aos desejos do jovem, afinal, ninguém pode contrariar o Yangban não é? Exceto os poderosos agentes especiais do governo chamados de Amhaeng eosa, que possuem poder total sobre Koryo e tem autoridade máxima para a partir de seu julgamento decidir se um Yangban deve ser punido por suas ações. Chun Hyang nem acredita que eles existam, pois em todo lugar existem pessoas sofrendo e ela nunca ouviu de algum Amhaeng eosa salvando o dia, mas nada impede que ela tente quando descobre que sua mãe foi realmente sequestrada!

50d6ef2c9a4cdf99867899fe9f53b5def2961925a558973c02712192-201x300A partir daí a vida desta corajosa garota vida de cabeça para baixo e muda muito, pois é aí que ela começa a trilhar seu caminho com Mong Ryong e no mangá acompanhamos o ínicio de sua jornada e outras dificuldades que eles enfrentam em prol da bondade e bom governo.

E paro de contar a história por aqui, porque é nessa hora que você leitor já deve estar pensando no que acontece, ou já até matou a história se for como eu. Essa introdução extensa que eu dei serviu apenas para instigar vocês a procurarem o mangá ou até o comprarem e saborearem essa história e depois vocês podem me contar que sabor que tinha, ok?

Bom, eu achei a história muito boa e bem tocante. Gosto quando o romance é em segundo ou terceiro plano, mas você vê que os personagens se importam um com o outro, mesmo com inúmeras dificuldades a serem superadas. Acho muito mais realista que os shoujos fantasiados que costumamos ver fazendo tanto sucesso por aí. Eu recomendo essa história para jovens e adultos, mas claro que não para crianças, já que dessa leitura eles não absorveriam nada por falta de vivência, maturidade, conhecimento mesmo que básico de estruturas de governo, principalmente na antiga coreia né? Se vocês procuram uma moça que com muitas boas razões está lutando pelos direitos das outras pessoas de terem uma boa vida sem serem abusados de várias formas por autoridades, aí está! Claro que na Coreia e no conto original Chun Hyang é admirada por ser uma mulher que se manteve fiel durante toda sua vida, mas no mangá também podemos admirá-la pela mulher que ela é. Uma pessoa com principios, que luta com suas proprias mãos pelo que acha correto, que faz a sua justiça, mas sem se deixar ficar cega por isso e que acha em um viajante pervertido uma companhia inestímavel em sua jornada.

f006-207x300Quanto a edição física da newpop, gostei de tudo, menos do papel ser branco. O que salvou a branquice do papel foi o maravilhoso traço da CLAMP e os detalhes ricos das ilustrações, mas sério…papel branco é muito feio e faz mal pros olhos sim, aquela coisa cegante. A edição está bonita, boa e bem feitinha no que diz respeito a tradução e edição também!

E agora a parte interessante pra muita gente…onde ler!

Em PT-BR (finalmente achei um!):
http://yesmangas.com/manga/shin-shunkaden
Em inglês:
http://mangafox.me/manga/the_legend_of_chun_hyang/

Como sempre, muito obrigada por lerem e até a semana que vem!

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s