Resenha: Lodoss Tousenki – Pharis no Seijo

artigo

Olá, leitores lindos! Espero que tenham tido um feriado relaxante, porque agora vamos entrar no mundo de Lodoss War! A partir dessa semana estarei resenhando essa franquia e comecei do que considero o começo mesmo, A dama de Pharis.

Lodoss é um mundo enorme e por isso, peço paciência de vocês, pois terei que me estender no artigo, a fim de ambientar todo mundo e deixar vocês morrendo de vontade de ler.

Lembrando que spoilers leves podem acontecer para fins de análise do mangá, mas como eu não vou muito fundo, eventos chave da história não serão revelados.

Clame por seus Deuses, invoque o poder da Mana ou avance com sua espada ou machado!

★☆★

Informações técnicas

Título: ロードス島戦記 ファリスの聖女
Gêneros: Shounen, aventura, fantasia, drama
Volumes: 2
Status: Completo
Roteiro: Mizuno Ryo
Ilustrador(a): Yamada Akihiro
Ano: 1994
Editora: Kadokawa Shoten
Serializado em: The Sneaker
Licenciado no Brasil? Sim
Editora: Panini
Preço: R$ 15,90

★☆★

Sinopse

lady_of_pharis_vol01_pg_014

A terra de Lodoss foi em algum tempo pacífica e as forças da luz e trevas coexistiam, mas a ganância de um homem apenas, mudou completamente o destino. Agora, no que antes eram locais pacíficos, manchados apenas por guerras humanas, hordas de demônios lançam terror e desespero em sua jornada de dizimação.

Agora, somente os guerreiros lendários serão capazes de impedir essa ameaça, mesmo que eles ainda não saibam que são lendários.

Este conflito entre os heróis e uma lorde demônio sucubus irá decidir o futuro de toda Lodoss.

★☆★

Lodoss War sempre foi um mangá que eu sabia que ia me apaixonar rapidamente, mas não vou mentir, morria de preguiça de ler. É aquela leitura que vamos empurrando com a barriga, mas o lado bom de fazer resenhas aqui é que eu consigo botar a coleção toda em dia.

Ao iniciar a leitura, nos deparamos com uma ambientação fantástica de como o mundo veio a ser e eu sinto que não podemos continuar sem eu passar isso a vocês.

A mitologia de Lodoss. Páginas 8-9, volume 1 de A dama de Pharis.

“No começo, havia um gigante.

Em sua morte, o mundo, Forseria, nasceu.

A carne do gigante se tornou terra. Seu sangue se tornou os oceanos. Seu último suspiro, se tornou o vento.

Seu lamentante e solitário coração se transformou em fogo e isso trouxe o calor e a vida —

–E da vida, os Deuses nasceram.

Do pé direito do gigante, nasceu o Deus da Guerra, Myree.
Do seu pé esquerdo, nasceu o Deus do comércio, Chaza.

De sua cabeça nasceu Larda, Deus da Sabedoria. De seu tronco, nasceu Marfa, a Mãe Natureza, Deusa da Criação.

De sua imoral mão direita, nasceu Falaris, o Deus da Escuridão.
De sua justa mão esquerda, nasceu Pharis, a Suprema Deusa da Luz.
Seu cabelo fez brotar plantas e de suas escamas nasceram os dragões.

Os Deuses, preocupados com o caos dos Céus, Terra e Mares, dividiram o mundo em três partes.

Uma delas é o mundo espiritual, a outra é o mundo físico e entre eles, o mundo dos Sprites.

Os Deuses, lamentando o grande vazio na Terra e lamentando o grande vazio nos Céus, criaram espíritos e bestas e sprites.”

lady_of_pharis_vol01_pg_008_009

Lodoss War já começa com uma ambientação graciosa, envolvente e muito digna de um mundo de fantasia. Mergulhamos em um mundo que pode nos parecer como um cenário de RPG medieval. Temos elfos, anões, humanos, feiticeiros e demônios e é claro, os guerreiros. Nada na história é completamente inédito e inovador, apenas bem construído e extremamente cativante. Durante a leitura, é impossível desviar a atenção da história que essa obra nos conta.

As páginas seguintes a esta também descrevem como o mundo atual veio a ser, onde depois de muito tempo de guerra, os deuses da Luz e Escuridão pereceram, para que nunca nenhuma divindade fosse vista na Terra novamente. O Deus da Escuridão lançou uma maldição a terra de Lodoss, mas em seu último suspiro, a Deusa da da Luz separou a maldição do resto da terra em uma ilha maldita e assim, o tempo dos Deuses acabou e o tempo da magia começou.

lady_of_pharis_vol01_pg_026Mana, como é chamada a magia nesse mundo, foi o que liderou por muito tempo. Aqueles que não possuíam afinidade para a magia eram jogados ao mundo selvagem apenas com uma espada, enquanto o rei dos magos vivia em uma ilha nos céus, em um reino onde nada importava mais do que Mana, mas um mundo é feito de guerras. História se faz através de conflitos e isso é muito bem mostrado no mundo de Lodoss. Os humanos com suas espadas ressurgiram do mundo abaixo de pura selvageria e dominaram os magos, acabando com a era de ouro da Mana e começando enfim, a era dos homens.

Seres humanos estão fadados a entrarem em combates por terras e riquezas, já vimos isso em várias histórias, e em Lodoss War vemos como o sentimento mais simples do homem pode levar tudo a perdição total.

Um homem queria dominar não só um reino, mas o mundo todo. E nos confins escuros do seu coração, ele encontrou a solução através da infame magia negra. Sacrificando sua filha em oferta a um lorde demônio, ele não conseguiu o que queria e ao custo de duas vidas, a escuridão foi mais uma vez libertada no mundo.

lady_of_pharis_vol01_pg_096Os Deuses haviam se dividido entre a luz e as trevas nos primórdios do mundo e agora, as trevas assolam Lodoss, que conta com a ajuda de guerreiros essencialmente bons até aqueles que não revelam seus verdadeiros motivos.

É a hora de falar dos personagens, mas vocês sabem que não existe um prazer tão bom quanto conhecê-los você mesmo, então vou ser breve.

Olhando pelo lado técnico, vocês já notaram que tanto o roteiro como os personagens que passeiam por ele são bem feitos, cada um tem sua singularidade e o leitor é levado a pensar que são quase palpáveis de tão reais.

lady_of_pharis_vol01_pg_032Começamos conhecendo a corajosa e fiel líder dos guerreiros sagrados de Pharis, Flaus. Ela é uma linda mulher, inteligente e centrada com grande habilidade de combate que movida pela força do que é correto, engaja em batalhas difíceis para corpo e coração em nome da paz no mundo mais uma vez. Em seu caminho ela conhece dois mercenários, Bert e Wort, um guerreiro do tipo mais bruto e seu companheiro mago. Ambos se juntam a Flaus sem hesitar, já que serão recompensados grandemente pelos seus serviços, mas eles têm um passado oculto, principalmente o feiticeiro Wort, que mostra ter mais noção sobre a situação atual do que o resto deles.

Viajamos durante a leitura por vários reinos da terra de Lodoss, e durante um breve retorno a Roid, terra de Flaus, o grupo conhece Fahn, que nesta história é líder dos cavaleiros sagrados de Valis.

lady_of_pharis_vol01_pg_062Existem outros personagens muito mais misteriosos e apaixonantes que conhecemos durante a história, como Aquela sem nome e a sacerdotisa Ceene e ao lado do grupo, vivemos aventuras emocionantes, sem dúvida!

O motivo dessa resenha ser tão longa, é que é preciso ter um cuidado ao falar de uma obra que certamente foi produzida com estudo e atenção, então eu agradeço a todos os leitores por seguirem comigo! Vamos para a parte técnica e final desta obra!

★☆★

lady_of_pharis_vol01_pg_275

A edição física de A dama de Pharis não está em meu poder, mas pelo que li, ela tem o mesmo formato das outras edições de Lodoss War e por isso posso afirmar que descontentará muitos fãs atuais. Em uma época onde prezamos muito o tipo de papel de qualidade e capas mais trabalhadas e um pouquinho mais duradouras, Lodoss War peca. Ele foi lançado aqui no Brasil por volta de 2006, apesar de ter sido encerrado só em 2011 dado a era negra da editora Panini, conhecida por muitos como “a geladeira”, onde inúmeros projetos nunca saíram do papel e muitos foram cancelados e abandonados. O preço bate com a época, mas não muito com a qualidade. O papel é jornal e a capa bem simples, com brochura, como de costume.

lady_of_pharis_vol01_pg_081Vale a pena comprar? Estou atrás dos dois volumes desse mangá ainda, acho que vale muito a pena, falando como colecionadora, é uma aquisição que não posso deixar de ter.

Eu tive que ler online essa primeira parte de Lodoss War e esperava raws bem ruins por ser antigo, mas por sorte, o que foi escaneado é a edição de colecionador e o trabalho do scan na limpeza das páginas e edição está muito bom! O traço é excelente, de te deixar de boca aberta, rico em detalhes, perfeito nos combates, não confunde o leitor com muita sombra ou até pouca, é tudo na medida certa, com uma beleza que só conferindo na íntegra mesmo. Podem babar nas ilustrações do artigo também, é claro.

lady_of_pharis_vol01_pg_198Do roteiro eu não tenho nada a reclamar, tem tudo que podemos querer em uma história de guerra. Tem traição, intriga, morte, dificuldade, esperança e mais intrigas. De um lado temos as batalhas contra os demônios e do outro vemos reis mandando mensagens e visitando-se a fim de parar conflitos e se unirem por um motivo maior. Muito bem desenvolvido! Acredito que se tivesse mais um volume, seria melhor ainda! É notável que o autor fez um bom estudo do que tratou na história. Os personagens entram nessa também, até os mais breves inspiram sentimentos para nós, nada a reclamar sobre isso, senti a vida de cada um deles durante a leitura!

E finalmente, links para vocês desfrutarem dessa história. Se puderem comprar, eu super aconselho, eu apoio a compra de mangás sim, afinal, sou uma compradora compulsiva, mas também não desmereço o trabalho de -bons- scans, porque eu sei que fazer isso bem feito é extremamente trabalhoso. Infelizmente, só encontrei para ler em inglês, não consegui achar nem em espanhol, mas caso algum leitor saiba, por favor comente!

Leia aqui em inglês

lady_of_pharis_vol01_pg_204

E é isso galera, fiquem com essa resenha apaixonada dessa leitora atualmente sem óculos, que atravessou o sofrimento de enxergar tudo borradinho só pra trazer essa resenha.

Até a próxima!

Anúncios
Esse post foi publicado em mangá, Resenha e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Resenha: Lodoss Tousenki – Pharis no Seijo

  1. Ótima resenha, assumo que não conhecia ainda esse título. Mas fiquei com curiosidade de ler após ler essa resenha, achei bem interessante e o traço chamativo, típico dos anos 90. Mas será que ainda é acessível pra achar ele no formato físico?
    https://somaisumaleatorio.wordpress.com

    Curtido por 1 pessoa

    • Lízias Cunha disse:

      Parece que alguns sebos de mangás ainda tem as edições. O bom é que são só duas! Tente procurar no estante virtual, sebo de mangás do capitão onigiri, na loja da panini (vai que tem, né?) e em outros sites de revenda. Pessoalmente, nunca encontrei, mas agora que estou querendo capaz de eu achar. Se eu conseguir, te aviso onde!

      Curtido por 1 pessoa

  2. SilvanaSchuck disse:

    Os outros mangás de Lodoss são com o papel mais barato, mas Dama de Pharis tem boa qualidade e o tamanho das páginas é um pouco maior do que a de um mangá comum. A edição está a altura da linda arte. Vale a pena comprar.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Pingback: Resenha: Lodoss Tousenki ━ Deedlit Monogatari | Hora do mangá!

  4. Pingback: Resenha: Lodoss Tousenki ━ Eiyuu Kishi Den | Hora do mangá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s