Resenha: Tower of God [2017]

artigo

Oi, povo! Sinto muito pela semana passada que eu não fiz a resenha e também pela demora desse post, mas o calor extremo aqui no Sul acaba com minha vontade de sequer tocar em outros objetos e infelizmente, isso inclui livros e afins. Também é muito difícil ter ânimo pra qualquer coisa, já que durante todo o verão eu só me f*do, então tudo será normalizado quando o inverno chegar!

beta_is_here

Talvez alguns de vocês se lembrem (só quem acompanhou desde o blogspot) que uma das minhas primeiras recomendações de leitura foi esse manhwa chamado Tower of God. Na época que eu escrevi o texto, não tinha lido muito (praticamente nada, na verdade) e nem tinha tanta coisa assim pra ler. Como o desenvolvimento do roteiro de ToG é feito totalmente sem pressa, esperei uns anos para retornar com uma visão modificada da mesma obra, por isso estamos aqui hoje para falar de Tower of God!

Atualmente estou no capítulo/episódio 202 da segunda temporada, acompanho o manhwa pelo site/app LINE Webtoon, leio em inglês.

Informações

Título: 神之塔
Tipo: Manhwa
Gêneros: Ação, aventura, comédia, fantasia
Capítulos: 239
Status: Andamento
Roteiro: SIU
Arte: SIU
Plataforma: LINE Webtoon

Sinopse

“Chegue ao topo da torre e realize todos os seus sonhos. Não importa o que você quer, estará lá no topo”.

Essa é a ideia do mundo de Tower of God, onde escolhidos chamados de regulares sobem a torre, que é o mundo onde inúmeras raças vivem, para conseguir realizar seu maior desejo. A subida não é fácil e consiste de muitos testes físicos e psicológico.

Conhecemos Baam, um garoto que passou a sua existência em um buraco escuro e que só conheceu o que é viver através da estranha viajante chamada Rachel. Um dia, Rachel vai para a tal torre e Baam, sem motivos para viver sem sua estrela guia, segue atrás dela mesmo que isso signifique ser um dos temidos irregulares do local.

O incrível mundo de ToG

racheltog_7421

Rachel

Falar sobre o roteiro desse manhwa é algo que precisa ser bem pensado de antemão. O autor construiu um universo tão detalhista e profundo, que pensar na imensidão de sua obra é de deixar o leitor perplexo. Eu como crítica dessa obra no momento, acho bem complicado escolher como falar de um jeito que possa instigar você aí a passar pelo grande número de capítulos existentes.

A cada andar da torre, conhecemos um mundo completamente diferente, com criaturas diferentes e acontecimentos daquele ambiente em paralelo com o que mais rola com nossos adorados personagens.

Falando neles, ToG tem uma variedade incrível de personagens, a maioria bem trabalhado com destaque, razões e tudo mais que bons personagens têm. O leitor pode encontrar sempre um ou mais personagens com os quais vai se identificar e acontece uma rotação entre os protagonistas que é bem interessante e não deixa a história cansativa. Naturalmente, eu poderia falar de todos eles, mas ficaríamos dias aqui. Todos eles são completos, complexos e cativantes e tem o destaque que merecem. Se é necessário citar alguma falha em tantos personagens, é que sentimos falta de cada um que se vai.

tog_da_tawr

Ilustração da torre

A torre é dividida em três partes: Outer tower (o lado mais externo da torre), inner tower (o lado interno) e a middle area (o meio). Até o capítulo que li, nada se sabe sobre o mundo fora da torre e se algo assim realmente existe. O autor ainda nos banha com uma boa noção de tamanho das dimensões encontradas em cada andar da torre, usando o tamanho da américa do norte como medida, fazendo a torre ser mais ou menos 6.5x o tamanho do planeta Terra.

Muitas pessoas são escolhidas para subirem a torre, cada um com seus motivos. Para subir os andares é necessário enfrentar os testes passados pelos administradores, que podem ser simples (passar em um tipo de teste completamente normal, sem uso de violência, apenas cérebro) ou puramente violento (eliminar o máximo de pessoas e sobreviver), então a convivência nesse local para os que estão subindo costuma ser bem difícil, pois, você precisa de um bom time para subir ao mesmo tempo que nunca sabe em quem pode confiar. Como se simplesmente subir já não fosse difícil sendo um escolhido, ás vezes aparece uma criatura que não deveria estar ali, eles são chamados de irregulares (e os escolhidos de regulares) e costumam vir de fora da torre, causando caos e quebrando regras.

Nosso protagonista é dito ser um irregular, apesar que isso eu deixo para os leitores decidirem realmente.

O 25th Baam

Arte inicial do 25th Baam

Como disse no início, Baam (ou Bam) não conhecia nada do mundo e ninguém exceto a garota Rachel, que dizia vir de um mundo cheio de alegria e luz onde só os escolhidos podiam viver. Sua maior ambição era subir a torre e ver as estrelas, enquanto tudo que Baam deseja na vida é ficar perto de Rachel. Não se engane quanto a romance, não é bem por aí! A história nos mostra que Rachel é uma personagem colocada num forninho criativo muito especial para que todo leitor odeie sequer a menção de seu nome e isso se deve ao fato de que apesar de Bam ser uma pessoa de bom coração, essa fissura quase doentia pela Rachel acaba colocando todos seus queridos amigos sempre em perigo. Ela é uma excelente personagem e o motivo de Bam evoluir e aceitar tudo que acontece em sua vida, mas ela também é sua maior inimiga e sua grande fraqueza. Ela também não deveria estar na torre, o que leva uma série de intrigar a rolarem entre os administradores de cada andar e assim o leitor vai descobrindo que esse lugar tão chamado de paraíso, na verdade é um grande inferno.

Arte inicial de Khun Aguero Agnes (쿤 아게로 아그니스)

Arte inicial de Khun Aguero Agnes (쿤 아게로 아그니스)

Apesar da obra ser o que conhecemos como shounen, não existe uma “forçação de barra” agressiva sobre os princípios do personagem e o que ele acha que deve ser uma amizade ou uma aliança. Claro que Bam é cheio de defeitos para que ao longo da história ele viva diversas situações e assim amadureça, mas é bem satisfatório o método utilizado e sua velocidade.


A hierarquia da torre

Princesa Endorsi Jahad

Princesa Endorsi Jahad

Em todo lugar existe uma cadeia de comando e na torre não é diferente. Dizem que no princípio, um homem e 10 bravos guerreiros resolveram desbravar a tal torre e ao chegarem a um determinado andar, eles constituíram residência, combatendo terríveis criaturas e conhecendo os mistérios do local. Esse homem se tornou o Rei da torre, conhecido como Jahad/Zarad e os 10 companheiros de luta se tornaram chefes de clãs, também chamado de ‘as 10 famílias’. Cada família tem uma infinidade de ‘filhos’ obtidos de modos diversos, mas as melhores filhas dessas famílias tem a chance de se tornarem princesas de Jahad, um outro cargo dentro da torre. Elas não são filhas do rei, mas herdam uma parcela do poder dele e podem ter uma vida decente se não violarem as regras! Não podem se apaixonar ou ter filhos, nem ter relacionamentos e eventualmente as princesas acabam competindo entre si.

Ranker Lero-ro

Ranker Lero-ro

Abaixo disso temos os poderosos rankers, pessoas que subiram a torre até o topo atual (onde o império de Jahad chegou, atualmente no andar 134 da torre) com sucesso e receberam um rank.

Depois disso temos os regulares de diversos ranks separados por letras (C-regular, D-regular) e os temíveis irregulares. Existem também seres muito antigos chamados administradores e é claro, uma infinidade de criaturas diferentes, mas o propósito aqui não é um texto explicando o que cada ser nessa torre faz ou pensa.

Além disso existem organizações a parte que tem objetivos diferentes. A FUG por exemplo que destruir tudo que Jahad criou e refazer a torre como eles pensam que deve ser, enquanto o pessoal da Wolhaiksong quer impedir isso e aparentemente até onde eu li, fazer essa fissura pela torre acabar. O irregular Urek Mazino menciona que as pessoas precisam conhecer o mundo do lado de fora da Torre.

screenshot_7A estrutura dessa hierarquia, os segredos e falhas dela as diversas organizações menores são todas muito bem criadas e é notável o trabalho cansativo e a dedicação do autor na construção desse universo, por isso quanto ao roteiro eu devo dizer que seu único defeito inegável é o velho protagonismo. É claro que ele existe e ocorre, mas mesmo assim até o momento o

screenshot_8

Yuri Ha Jahad chutando bundas

autor está manejando bem essa parte e constantemente dividindo os personagens em vários grupos para trabalhar melhor seu desenvolvimento, assim tendo que recorrer menos ao infame protagonismo (exceto com Bam, Khun e Rak…eles foram feitos para seguir), mas pelo lado bom os antagonistas não levam uma chuva de porrada e morrem assim, o que dá ao leitor o sentimento de que houve realmente um desafio, um sufoco pelo qual eles passaram e pagaram seu preço devido.

Motivos para ler TOG e conclusão

Khun Aguero Agnes

Khun Aguero Agnes

Se você busca por um motivo para acompanhar uma obra tão grande, não posso lhe tirar a razão. Eu mesma tive receio em acompanhar algo tão grande, em vista que muitos mangás e manhwas encontram diversos problemas ao longo da história, como falhas no desenvolvimento dos personagens, abuso do protagonismo em prol do roteiro e inúmeros capítulos nem tão significantes, mas fico feliz em dizer que Tower of God sabe manejar a longevidade de sua história, até porque…existe uma infinidade de pequenas jornadas que acompanhamos dentro da torre, mas que de um jeito ou outro adicionam importância no ‘grande plano’.

O conceito de bem e mal, errado e certo e vilão e mocinho também é muito variável. Enquanto a maioria torce a favor de Bam e contra Rachel por exemplo, vi muitos comentários sobre o oposto ou outro tipos de torcidas. Vendo que Bam é um personagem aparentemente sem limites com uma obstinação extrema, ele é visto mesmo como um monstro insano, um ser maldito, um real perigo para tudo que existe na torre.

Outro fator positivo é que a arte do manhwa, que já era boa no início, só evolui mais.O autor capricha no seu traço e na coloração das cenas, dando ênfase nas mais emocionantes com maestria!

Rak Wraithraiser

Rak Wraithraiser

Uma história bem formada e que ao longo dos capítulos não perde o fio da meada é algo bem difícil de ser encontrado. Nunca senti tédio ou cansaço durante a leitura (só por ter lido 60 capítulos em um dia, daí cansa a mente um pouco, ehehe). Sem contar que o autor, SIU, é muito comunicativo e vive largando muitos extras sobre a história, que são traduzidos do fórum direto para a wikia da obra!

ToG é uma história que com certeza vai mexer com o leitor! Tem comédia, um tiquinhozinho de romance, muita amizade e inimizade, muito ódio e rancor, toneladas de ação e uma boa comédia! Entre truques sujos e princípios puros, em um mundo onde inocência e confiança não têm lugar, como nossos personagens adorados se sairão?

Arte atual do 25th Baam

Arte atual do 25th Baam

Para finalizar, vocês podem acompanhar a obra por diversos sites, mas recomendo pelo LINE webtoon!

Leia aqui em inglês

Leia aqui em PT-BR

Sinto se esse artigo não ficou muito bom, mas o calor realmente acaba comigo. Espero que essa estação horrorosa logo passe!

Um oi especial pro meu povo do Amino, que me segue em todo canto e me atura, vocês são demais, obrigada por tudo gente!

Um oi especial pro grupo que traduz ToG ali na ferramenta de tradução do LINE webtoon! Vocês são super demais!

Yuri Ha Jahad e seu guia Evan

Yuri Ha Jahad e seu guia Evan

E até a próxima, devoradores~!

Anúncios
Esse post foi publicado em manhwa, Resenha e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Resenha: Tower of God [2017]

  1. Bob Haris disse:

    Ficou bem legal a resenha! Valeu o esforço de trabalhar no calor insano!
    Ainda não decidi se lerei ou não, mas já está na minha lista!
    Fiquei curioso com uma coisa: ninguém alcançou o topo da torre ainda (que se saiba)?

    Curtido por 1 pessoa

    • Lízias Cunha disse:

      Ninguém nem sabe até onde ela vai (quantos andares ela tem realmente), o atual topo é só até onde o Jahad chegou mesmo, como falei ali.

      Dizem antigas profecias que quando o atual Jahad for ‘dormir’, um novo rei vai aparecer e continuar a conquistar a torre.

      Curtir

  2. SilvanaSchuck disse:

    Obrigada pelo oi especial! Hehe ^^
    A série é longa, mas é difícil de parar depois que você começa. O mundo criado pelo SIU é muito complexo e interessante. Fico ansiosa pra ver a revelação de de todos esses mistérios.

    Curtido por 1 pessoa

  3. thorffinn disse:

    Muito bom

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s