Resenha: Shinju no Nectar [16+] #TrazproBrasil

Olá, devoradores! É com grande felicidade que informo que obtive sucesso em ler alguma coisa e agradeço a todos que leram e entenderam o aviso que dei sobre esses dias que fiquei silenciosa. Quero aproveitar e agradecer assim bem escancarado aos amigos e pessoas legais dos servidores do Discord que tenho e do servidor do MAL BR que disseram palavras gentis e me aturaram enquanto eu precisava me distrair pesadamente.

Claro que quando uma coisa melhora, outra estraga. Tenho jogado muito pra me manter distraída e por isso espero que perdoem qualquer erro no texto já que as mãos estão mesmo doendo.

Hoje eu vou falar desse mangá que pode dar uma primeira impressão errada pelo objeto central do plot, mas não tem nada de ruim! Vamos lá!

Informações

Título original: 神呪のネクタール
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 1 volume +, 9 capítulos +
Status: Andamento
Demografia: Shounen
Gêneros: Harém, ecchi, fantasia, drama
Período de serialização: 19 de Novembro de 2016 a ??
Mangaká: Yoshino Hiroyuki
Ilustração: Yoshino Hiroyuki
Ano: 2016
Editora Japonesa: Akita Shoten
Revista Japonesa: Champion RED

Sinopse

Em um mundo que abandonou seus antigos Deuses e se entregou a Ciência, parece que os resquícios de suas superstições é que vão salvar um reino em decadência! A linda princesa Sakra (Sakura) de um país perdido na guerra, possui um raríssimo poder chamado Ambrosia e para utilizar esse poder ela trouxe para o seu mundo um humano chamado Kai!

O néctar sagrado de Dharani

Caso você tenha visto aquele anime chamado Seikon no Qwaser, fui avisada e repasso o aviso de que o plot de ambos envolve muita teta. Sim, tetas! Chame de peitos, seios, melões, mamas ou como quiser, mas é isso aí mesmo, bem bonito e exposto: um boobplot. Com isso em mente, eu fui ler o mangá como uma experiência, pensando se seria possível que algo com boobplot fosse realmente decente, esperando óbviamente que meu preconceito fosse quebrado em mil pedacinhos. Fico feliz em informá-los que foi exatamente isso que aconteceu. O fanservice é tão sensual, moderado e de acordo com o roteiro que se não estivesse ali eu acho que a história teria sérios problemas de qualidade e provavelmente me faria gostar menos dela, afinal se ele tem que mamar nos fartos seios de uma divindade com um ego maior que o meu, eu quero ver isso aí direito!

Encerrado a parte sobre os polêmicos mamilos, entramos um pouco no roteiro e sua qualidade. Eu esperava uma história mais simples e boba e não com tal arquitetura bem armada e reforçada quanto Shinju no Nectar mostrou. Páginas e páginas de explicações sobre este mundo e seus detalhes vão ser estudadas pelos leitores enquanto o roteiro vai crescendo nos poucos capítulos que temos disponíveis (na criação deste post temos 8 capítulos disponíveis). Apesar do curto tempo, a história desenvolveu bem, partindo do princípio do humano ser chamado a este mundo de fantasia, se tornar um servo amaldiçoado pelo néctar de uma divindade e virar a mesa bonito, assumindo uma posição de autoridade passando por cima de sua personalidade de auto piedade infinita. As coisas mudam tão rápido que acabam deixando o leitor instigado a saber o que mais poderia acontecer. A parte introdutória da história então, cumpre o que promete e nos introduz a um mundo de elfos, anões, deuses e seios que talvez você deva pensar duas vezes antes de chupar, mas isso se você merecer olhar pra eles.

Começando em uma linha de um shounen ecchi, Shinju no Nectar já parece tomar rumos para a introdução do harém na história e ainda por cima tem uma bela colherada de diálogos interessantes e muita estratégia, afinal, estão em uma guerra! Para os fãs de História o mangá também é bem aproveitável e inclusive você pode relacionar com períodos da história do mundo, que é sempre divertido para lhe ajudar a entender qual pode ser o próximo passo.

Os personagens são uma parte essencial de toda história, mas como vocês bem sabem e eu vivo lembrando, não falo sobre eles em separado e nem cito todos os envolvidos. No momento estou satisfeita com todo o elenco principal. A princesa tem uma personalidade fofinha, mas ela tenta achar sua força e não depender tanto de outras pessoas ou de sua outra parte, enquanto esta é uma mulher de super confiança muito cativante que esbanja sexualidade e tem um bom cérebro também. É um combo bem comum de dois tipos de garota que fazem sucesso por aí e sim, deu certo colocar essas duas no mesmo recipiente. Apesar de levemente irritante, a princesa Sakura é suportável, cativante e com bom desenvolvimento, deixando a desejar no seu background por ele ser mesmo um segredo no momento. Espero que valha a espera.

O bravo e inteligente Major Gray também é uma adição rica a história, apesar de que isso não dura muito do modo mais convencional, ele é uma importante ferramenta que dá motivação para nosso protagonista parar de chupar o dedo e chupar outra coisa e mexer o popô. Falando nele, Kai é um cara normal que se sente fracassado em tudo, um desperdício de oxigênio e uma pessoa que se odeia e se lamenta tanto que é óbvio que eu iria detestá-lo. Apesar disso ele não é o seu tradicional mangolão de harém, ele tem alguns neurônios e utiliza o conhecimento de seu mundo para beneficiar o que está no momento. Seu dever é muito mais do que ordenhar a princesa e ficar louco de poder, fazendo juz ao “monstro ta saindo da jaula” que tantos adoram, ele rapidamente arranja motivação para ir lá e chutar bundas de Norte a Sul para recuperar a mocinha da história, mesmo que depois ela queira apenas continuar entrando em perigo junto com ele num mundo novo de aventuras, já que se não fosse por isso não teríamos muito plot, né? Ele passa de bundão a bundinha em minutos e espero um grande desenvolvimento dele sim. Eu gosto dele? Não, mas é bom ele fazer o trabalho dele direito, afinal é bem importante. Graças a sua mudança a história ficou interessante e rica, também passando a velha mensagem de que você não deve se sentir um inútil e sim que a vida ainda não te deu oportunidade de utilizar o que você sabe…ou algo assim.

Por último temos a mocinha tigre, cujo a raça tem sim um nome maravilhoso que eu infelizmente não anotei e esqueci. Celinthrope eu acho, mas de qualquer forma é isso mesmo que você está pensando: uma moça que se transforma em um animal! Existem vários graus dessa mudança, mas a nossa adorável Nia é de sangue muito puro, virando uma tigresa (ou é um outro animal do tipo? me corrijam se souberem!) muito esperta, chutando bundas também. Ela adiciona um pouco de comédia na história e também serve para dar brecha de salvação para algumas partes da história em que as coisas iriam acabar no fundo de um poço (claro, ela tem seios menores para os que preferem assim ;)).

Finalmente chegamos ao final deste artigo que era pra ser curto, mas não foi! Como essa belezura só está saindo no Japão, vou falar do que deu pra observar lendo online.

O traço do mangá é muito mais bonito do que eu esperava, os detalhes de cenário, roupas e jóias são de fazer babar, os corpos de meninos e meninas são deliciosamente traçados para nos infartar mesmo e as expressões são apropriadamente feitas, dando ao momento o tom correto. O fanservice é o ar que essa história respira e nem sei se podemos chamar disso, mas o astro dessa história (estou falando das tetinhas) é que leva o prêmios. De gigantes a pequenos eles são bem cuidados e desenhados com todo amor e carinho que o autor pôde dar. As cenas de ação me deixaram um pouquinho confusa, não senti uma ideia de movimentação tão forte quanto em outros shounens e achei sim algo bem ruim, pois me faz passar correndo por essas cenas que deviam ser bem interessantes.

Em resumo, se você procura uma ação bem erótica com um fundo militar e político, se divirta lendo Shinju no Nectar!

Sei que costumo deixar um local para leitora da obra no final do artigo, mas eu fiquei sabendo que diversos leitores e reupadores do conteúdo estão censurando ou simplesmente tirando as páginas que contém os seios de nossas amadas garotas e como não vou conferir um por um, deixo com vocês essa tarefa de procurar onde mais gostam de ler! Eu estou lendo pelo mangatown e parece tudo certo lá (inclusive foi numa página do mangá que recebi o aviso que repasso aqui).

Espero que tenham curtido esse mangá e espero que sim, ele venha um dia parar na minha estante. Dentre tantos ecchis fraquinhos que temos (sorry aos fãs destes), acho que Shinju no Nectar também merece seu lugar.

Anúncios
Esse post foi publicado em mangá, Resenha e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s