Resenha: Usemono Yado

Olá, pessoal! Estão curtindo os novos quadros do blog? O acesso as postagens está bem satisfatório, então quero agradecer a todos que leem por curiosidade ou por já acompanharem o blog.

Lembrem também de conferir o servidor do Discord ali no menu lateral, o beco do neko caolho é um servidor amigável onde tu pode socializar com pessoas que têm gostos parecidos e se divertir com os bots disponíveis também!

Ultimamente estou lendo bastante e essa semana terminei de ler o mangá Usemono Yado para falar sobre hoje, mas não se preocupem que não vou spoilar essa história maravilhosamente trágica!

Informações

Título original: うせもの宿
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 3 volumes
Status: Completo
Demografia: Josei
Gêneros: Drama, mistério, sobrenatural.
Período de serialização: 27 de Março de 2014 a 18 de Outubro de 2015
Mangaká: Hozumi
Ilustração: Hozumi
Ano: 2014
Editora Japonesa: Shogakukan
Revista Japonesa: Flowers

Sinopse

Quando as pessoas morrem com arrependimentos, acabam indo parar nesta antiga estalagem, a estalagem das coisas perdidas. Lá, uma misteriosa garota com uma personalidade forte acaba ajudando todos a acharem o que estavam procurando, mas qual é a sua história?

Arrependimento e superação

Usemono Yado é um mangá interessante, que tem um desenvolvimento de uma bola de neve, ou seja, começa com algo casual e pequeno e aos poucos o leitor vai sendo levado a ligar pontos aqui e ali, entender melhor o conceito da história e também os problemas pessoais dos protagonistas, seu relacionamento e enfim, recompensa essa rede de fatos com um final satisfatório, sem buracos no plot e de modo a nutrir a necessidade plantada no leitor no começo misterioso de sua história.

Com o traço leve e cenários agradáveis Usemono nos leva nessa viagem pelos arrependimentos dos mortos. Este lugar onde a história se passa se trata de um para onde quem morre acaba indo a fim de achar aquela coisa que gostaria de levar ou esclarecer antes de seguir sua jornada espiritual, mas achar isso também requer encarar a recente morte e saber lidar com suas ações, encarando aquela verdade imutável de que já é tarde demais para consertar os erros do passado. A história realmente fala sobre apegos e desapegos enquanto conhecemos os funcionários deste local, que também estão ali para encontrar o que precisam para seguir em frente e inclusive a pequena e emburrada senhoria do local, cujo principal aborrecimento é ver um homem chamado Matsuura lhe trazer pessoas com arrependimentos, enquanto ele mesmo não pode cruzar os portões do local por ainda estar vivo, mesmo estando em espírito ali. Matsuura sempre tenta interagir com a senhoria que o despreza profundamente, mas também sente outras coisas que revelarão os motivos dela estar ali até agora e de ter perdido suas memórias, assim como o motivo dela querer tanto que este homem vá embora.

A progressão da história é bem objetiva, com 18 capítulos eu não esperaria nada diferente. O leitor é levado num ritmo satisfatório sem enrolações e com a dose certa de mistério para instigar a mente a procurar pelas soluções, conhecendo no meio tempo outros personagens com os quais podem e provavelmente vão se cativar, pois mesmo sendo rápida a passagem deles, foram devidamente construídos para emocionar o leitor, cumprindo essa ideia.

O traço é delicado até o ápice, onde ganha mais tons escuros para representar a seriedade e peso dramático das cenas, com cenários mais fortes que no início, mas principalmente caprichando muito nas expressões dos personagens, tornando a leitura muito fluída e friso mais uma vez, cativante para o leitor.

Uma outra coisa interessante é que a autora já está aqui no Brasil com outra excelente história que foi publicada pela editora Panini, o mangá Shiki no Zenjitsu, uma coleção de histórias curtas muito comoventes e que vocês podem conferir a resenha que eu fiz aqui. Outra obra dela que muitos devem conhecer também é a antologia em mangá de Persona 3! Futuramente irei conferir mais obras dela e espero que vocês também!

E essa foi a resenha de hoje! Uma história curta, mas cativante e envolvente! Um josei maravilhoso, sem dúvidas. Se você já leu, deixe sua opinião nos comentários e se não leu, experimente!

Espero que tenham uma ótima semana! Até a próxima, Devoradores!

Anúncios
Esse post foi publicado em mangá, Resenha e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s