Leituras da meia-noite: Bokura no Fushidara e Watashi no Fushidara

Olá, povo! O papo de hoje é sobre dois mangás que tratam fantasiosamente sobre o problema de se deixar ser controlado pelos seus desejos mais profundos.

Watashi no Fushidara é a sequência direta de Bokura no Fushidara e recomendo ler os dois, caso goste.

Por último, essa obra trata de assuntos bem pesados e mostra cenas bem pesadas de abuso físico e psicológico. Nenhuma das imagens na postagem mostram qualquer momento desses, claro.

Informações

Título original: ぼくらのふしだら
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 2 volumes
Status: Completo
Demografia: Seinen
Gêneros: Ecchi, romance, sobrenatural, tragédia
Mangaká: Ohmi Takeshi
Ilustração: Ohmi Takeshi
Ano: 2014
Editora Japonesa: Shounen Gahosha
Revista Japonesa: Young King Ours GH
Link do mangá no Anime-Planet

Título original: わたしのふしだら (sequência)
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 2 volumes
Status: Completo
Demografia: Seinen
Gêneros: Ecchi, vida escolar, sobrenatural, tragédia
Mangaká: Ohmi Takeshi
Ilustração: Ohmi Takeshi
Ano: 2016
Editora Japonesa: Shounen Gahosha
Revista Japonesa: Young King Ours GH
Link do mangá no Anime-Planet

O desejo é como uma droga. Vicia, destrói.

Neste post também estou tentando ver como fica sem uma sinopse montadinha bonitinha e apenas eu comentando inicialmente sobre a trama base, como sempre sem spoilers.

Falando num aspecto geral de ambos mangás, trata-se do maravilhoso mundo contemporâneo e notem o sarcasmo no maravilhoso, por favor. Um mundo extremamente competitivo e sem escrúpulos, cheio de pessoas de todos os tipos. Dentre essas pessoas, algumas tem fortes desejos de adquirirem algo que nunca tiveram, realizar uma fantasia profunda ou apenas garantir que possam chegar onde se esforçam tanto para estar. Enfim, são infinitos os tipos de desejos profundos que queimam nos corações dos seres humanos e nessa obra, uma entidade que não se diz boa nem ruim tem a tarefa de dar a essas pessoas com um desejo profundo por algo, a habilidade de realizá-lo. Claro que nada nesse mundo é de graça, então quando ele dá o que as pessoas mais querem, elas precisam compensar com o que menos precisa.

A primeira protagonista queria ser alguém que possui valor, chegar a faculdade e entrar em uma boa empresa e ter uma carreira estável, mas o seu esforço não era de seu agrado e não era nem de perto suficiente. Ela obteve o poder de realizar seus desejos com facilidade, podendo parar o tempo e estudar o quanto fosse necessário, no entanto, o controle do uso de sua habilidade é feito por uma marca em seu peito, quanto mais ela usa o poder, maior o número fica e…mais sexualmente carente ela se torna, atingindo um ponto onde ela é incapaz de andar e precisa fazer sexo com qualquer criatura viva, já que sozinha não é suficiente.

E é nisso que essa obra gira. A perversão (dessa vez, não a sexual) que um forte desejo sendo alcançado gera numa pessoa. Todas as consequências de sua habilidade e o preço a se pagar por ela e o quanto isso revela sobre quem elas realmente são. Esse mangá mostra de um jeito bem cru e apesar de usar o sobrenatural como meio para um fim, não posso dizer que seja de um jeito tão exagerado, o que esses desejos loucamente profundos que sentimos podem fazer com as pessoas. O quanto eles deturpam a natureza destes seres descritos na obra que tem desejos que são muito comuns, porém com fatores absurdos, mas não surreais.

Para muitos, essa história é puramente nojenta e perturbadora e com certeza vai incomodar um leitor que não consegue ler através disso. Por isso recomendo pensar bem antes de conferir essas obras.

Quanto aos personagens, eles são…uma fonte infinita de repúdio, mas o enredo, apesar de ser desenvolvido num ritmo rápido por conta dos poucos capítulos, nos mostra que foram sim bem planejados. É preciso pensar que esses desejos, esse poder que eles possuem é como uma substância química que gera um abastecimento altíssimo de dopamina, um neurotransmissor muito famosão aí responsável por aquela sensação de prazer. Pense nos personagens como ratinhos que podem apertar um botão para atingir o clímax. O que os ratinhos farão? Apertar o botão até morrer, pois a sensação de apertá-lo é boa, mesmo que possa prejudicar tudo ao seu redor, incluindo o ratinho.

O traço é maravilhoso, sensacional em demonstrar as emoções de seus personagens dos seus momentos mais inocentes até o nível mais baixo de desespero, loucura e negação que conseguem chegar.

Se procuram obras de revirar o estômago, mas que ainda contenham algum sentido, confiram Bokura no Fushidara e Watashi no Fushidara!

Espero que tenham curtido a resenha de hoje! Vejo vocês na próxima postagem

Esse post foi publicado em Leituras da meia-noite, Mangá, Resenha e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s