Clube do Terror: Mashuri no Hako

Oi, galera! Como vocês sabem, no mês de Outubro eu me puxo pra ler bastante horror. Eu adoro coisas de horror então sempre me empolgo MUITO em Outubro! Hoje depois de assistir Anabelle 3 e rir bastante, li Mashuri no Hako acompanhada de pipoca amanteigada caseira e agora vim deixar minha experiência com vocês!

Pra quem não sabe, o Clube do Terror é um quadro onde eu falo de obras de horror. Vários tipos de horror! Esse e outros quadros também são compartilhados no Amino e no Telegram.

Sem mais lenga lenga, vamos ao que interessa!

Informações

Título original: マシュリの匣
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 3 volumes, 18 capítulos
Status: Completo
Demografia: Seinen
Gêneros: Drama, horror, romance
Mangaká: Karakusa Michiru
Ilustração: Karakusa Michiru
Ano: 2015
Editora Japonesa: Takeshobo
Revista Japonesa: Web Comic Ganma
Link do mangá no Anime-Planet

O odor da morte, é um doce néctar

Em Mashuri no Hako, o leitor é levado ao vilarejo de Hagiri, um lugarzinho pequeno e sinistro onde ocasionalmente pessoas desaparecem desde um certo ano da era Showa. Mesmo com essa estranha ocorrência, a vida segue no vilarejo onde todos os moradores vão ficar suspeitos e paranóicos no momento que alguém perguntar sobre essa situação. Um rapaz chamado Gunji se muda para esse adorável local para não ser mais um fardo para sua família e começa a trabalhar como professor na escola local. Ao conhecer o anfitrião do clube de arranjos florais, a vida de Gunji muda completamente graças a coisa dentro da caixa nas montanhas.

Toda a trama da obra gira em torno das flores vermelhas com forte cheiro doce e o alto número de moradores, repórteres e autoridades que desapareceram 30 anos atrás no vilarejo. Quando novos desaparecimentos começam a ocorrer, vemos o protagonista no centro disso. Não é nenhum segredo ou spoiler para o leitor que é ele o responsável por isso, mas a finalidade de seus atos é bem mais macabra do que os assassinatos em si.

O leitor é levado por uma breve viagem ao surreal, numa mistura dos mitos do Japão antigo com o novo. Não existe muito mais o que comentar sobre o plot sem relevar a graça da coisa toda, mas essa leitura envolve mais a descoberta e compreensão da causa dos desaparecimentos do que um monte de sustos previsíveis, então ela é bem aproveitável e como só possui 18 capítulos, bem rápida de ler também.

Os personagens são breves, não causam grande identificação e nem nos cativam muito por boa parte da história onde viajaremos para as origens da coisa danada. Como o mangá contém bastante gore, apesar de não ser um gore detalhado e sim mais uma chuva de sangue em muitos momentos, já se imagina que muita gente morre então não tem muito a quem se apegar. Somos apenas telespectadores talvez torcendo para que o que reside nesse vilarejo seja erradicado, mas sua opinião pode mudar ao descobrir a verdade por trás de tudo.

O traço é agradável nos termos da arte ser compreensível, mas ele tem uma vibe perfeita para deixar o leitor desconfortável em suas cenas. Algumas são muito detalhadas e outras nem tanto, mas de forma alguma é insatisfatório e é perfeitamente compatível com o tipo de narrativa.

Se procuram algo levemente assustador para começar os trabalhos de Outubro, bora lá ler Mashuri no Hako!

Vejo vocês na próxima postagem~

Esse post foi publicado em Clube do Terror, Mangá, Resenha e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s