Resenhando: Koi Shita no de, Haishin Shite Mita

E aí, pessoal! Outubro está acabando e já estamos entrando no fim de mais um ano. Enquanto é uma pena que eu não possa continuar com o domínio pago, estou feliz aqui e vou continuar minhas resenhas até minhas mãos caírem :v

…O que pode acontecer de fato, mas vamos deixar isso pra lá.

Hoje eu vou falar sobre um mangá bem engraçado sobre um bando de adolescentes streamers bem peculiares~

Informações

Título original: 恋したので配信してみた
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 11 capítulos
Status: Andamento
Demografia: Shounen
Gêneros: Comédia, ecchi, romance, vida escolar
Mangaká: Azuma Tama
Ilustração: Azuma Tama
Ano: 2019
Link do mangá no Anime-Planet

 

Hello, viewers~!

Nesse mangá recente, engraçado e que toca num tema importante, temos o pobre protagonista Inuzuka Yuu, que sofre da síndrome da eterna cara de delinquente. É algo real gente, um dos muitos estereótipos de animes e mangás é o personagem que não importa o quanto tente sorrir, vai parecer assustador e impossível de se aproximar. Na realidade, Yuu é apenas um adolescente regular que sofreu algum trauma no passado e se afastou do mundo da livestream. Por sinal, esse é o assunto-chave do mangá: stream! Hoje em dia streamers são super populares, mas ainda é difícil ser reconhecido como um profissional, um ser humano que também trabalha oito horas ou mais e ainda se expõe tremendamente na internet, o que necessita culhões. O anonimato na stream também não é nada novo ou chocante, na verdade é o extremo oposto, principalmente em algumas culturas como a japonesa. Ter qualquer tipo de trabalho fora do escopo tradicional daquela cultura é mal visto, como aqui no Brasil tu dizer que é um tatuador. Rola muito preconceito e muita gente não te leva a sério, o que leva muitos streamers a manterem uma identidade que mascara a sua real.

Yuu muda para uma nova escola ao entrar no ensino médio e precisa viver em uma casa compartilhada com outros estudantes, todos com dezesseis anos. Três garotas e três garotos que vão compartilhar uma residência, tarefas e obrigações até se formarem. Cada um tem uma personalidade bem peculiar, mas todos escondem o mesmo segredo: são streamers! Ainda que cada um tenha seu campo de stream bem diferente do outro, todos eles têm em comum quererem guardar esse segredo para que não destrua suas vidas fora da internet, trazendo problemas familiares, escolares e até podendo arruinar seu futuro profissional. Outra coisa que eles têm em comum é que criaram uma persona para suas streams. Cada um age de forma bem diferente em sua live, mas isso é comum mesmo com streamers que não escondem sua identidade. Vale lembrar que o streamer é um apresentador, um entertainer, claramente a pessoa não é 100% igual fora do expediente.

Aos poucos, o protagonista vai descobrindo mais sobre os outros moradores e seus segredos, mas como o mangá é bem recente só vemos o início disso tudo. Com onze capítulos, é meio difícil dizer que tudo vai ficar bem como está acontecendo até agora, mas com certeza vai ser muito divertido de continuar lendo.

Outra coisa maravilhosa que a obra oferece é justamente essa noção de como é difícil ser você mesmo e fazer o que você ama. Muitas profissões são desmerecidas e especialmente com jovens que já compartilham das profissões mais recentes desse mundo, é difícil que as gerações passadas não aceitem isso muito bem. Eu ainda sou da geração que começou tudo isso e já estou acostumada, mas quando se trata de família e carreira, pode ser sempre complicado e rolar muito preconceito. Nessa obra essa ideia do “quem eu sou de verdade” dentro e fora da internet é bem trabalhada e é claro que viver uma vida dupla é extremamente cansativo. Você conseguiria ter duas personalidades totalmente diferentes? Não apenas em nome do seu trabalho, mas para preservar sua vida pessoal? É algo bem exaustivo para a mente e pode acarretar em problemas bem maiores tanto físicos quanto psicológicos.

A arte é agradável e tem sua representação cômica e fofa no ponto, nada a declarar, nas imagens postadas aqui todos podem observar que não é o traço mais rebuscado, mas não precisa, cumpre seu papel perfeitamente e ajuda a dar um tom leve a obra mesmo que ela toque em pontos bem sensíveis.

No geral, Koi shita no de, haishin shite mita é um mangá divertido que pode até acabar sendo adaptado para anime. Recomendo muito essa leitura rápida e engraçada para todos os interessados!

Vejo vocês na próxima postagem~!

Esse post foi publicado em Postagens e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s